Week Images (Imagens da Semana)

Olá Dyvas!
Separei umas imagens da semana pra postar. Essa semana foi quente e foi fria ao mesmo tempo. Daí você começa o dia com roupa, tira roupa e depois põe roupa de novo. Ou seja, quebra a cabeça pra vestir um look que suporte toda essa mudança de tempo.
Bom, vamos lá!

Hi Divas!
I chose some week pictures to post here today. This week had hot and cold moments every days. I started the days with clothes for cold, suddenly I had to take off the clothes for some hours because weather becomes hot and then, put it on the cold pieces again!
So, let´s go!



Esse é o ipê mais lindo das minhas redondezas. Sou apaixonada por ele.
This is the most beautiful Ipe tree of my neighborhood. I´m soooo in love with it.


Preparada pra sair!
Ready to go out!


Adorei a estampa do banco da cafeteria...
Just loved the print of cafeteria´s bench...

Sapatinho da Sugoi. Fofinho e confortável.
My new shoes from Sugoi brand. Soft and comfortable.

Achei uma graça!
That´s so cute!

Minha nova peça da Queen of Darkness.
My new piece from Queen of Darkness shop.

Aquecendo as pernas com minha sandália favorita: Melissa Dóris Spikes. 
Heating my the legs on the sun and wearing my favorite sandals from Melissa brand.


Vista da janela... 
View from the window...

Hora do Chá!  
Tea time!

Camélia é uma flor de inverno. Essa caiu da árvore e super combinou com a latinha de biscoito.
Camellia is a winter flower. This one fell from the tree and combined with biscuit tin.

 Lita.



Inverno é quando uso e abuso do meu velho Converse de botinha.
Winter is when I wear a lot of my old Converse boot.



Espero que tenham tido uma boa semana e que a que está começando seja melhor ainda.
Até breve!

I hope you have had a very good week and that this one which is starting be even better.
See you soon! 



Outfit: Red Roses + Week Updates + Sapato Boneca Vilela

Essa semana muita gente coloriu seus avatares do face em tons do arco-íris e recentemente Caitlin Jenner foi notícia. Descobri algo que não sabia: que  discussões de gênero foram trazidas à tona na sociedade pelas feministas radicais. Pois é, elas mesmas.
Se hoje colorimos fotos e falamos sobre o tema "gêneros", foram elas que abriram as portas pro assunto no passado.
E lendo brevemente sobre elas e sobre o que elas pensam, eu descobri que tenho alguns pensamentos em comum, especialmente com respeito de consumo e mídia/publicidade. E elas também apontam as falhas sobre pedir a igualdade de gêneros (isso é algo que me interessa e ainda estou aprendendo). Acaba que também tem a ver com o que eu disse no post anterior, que hoje sou uma pessoa mais tolerante. Eu tenho evitado julgar o que não conheço. Vi tantos posts em blogs, inclusive alternativos, que as feministas radicais são ridículas, chatas, extremas e etc etc etc... eu mesma cheguei a comentar em algum post que não curtia extremismo. Mas depois de saber mais sobre elas, e  os pensamentos em comum que temos, retiro aqui aquelas palavras que escrevi (vale ler também esse post de Carolina Ruiz).
Elas incomodam porque tocam nas feridas abertas da sociedade.
Elas incomodam porque tiram nosso acomodamento mental.
Elas incomodam porque pensam diferente demais e sobre perspectivas que eu, pelo menos, ainda não tinha pensado.
É... todo dia é dia de mudar de ideia. Como já dizia Raulzito: não ter uma opinião formada sobre tudo, estar sempre apto rever conceitos.

Eu aprendi ainda nova que mudança definitiva é ruptura.
Sem a ruptura, a gente não muda.
Sem a ruptura a gente fica no mesmo.
Só que ruptura, é chato, dói, incomoda, nos deixa sem referência.
Começamos do zero.
É por isso que não acredito muito em protesto pacífico (exceto em algumas culturas que sabem interpretar isso).

Hippies não existem mais.
A passividade é complexa e confusa.

Me diga: o que você já conquistou sendo passiva?
Nunca esqueço uma vez que uma mulher que mexia com cores e energia disse que na virada do ano as pessoas vestem branco e pedem paz. E ela disse: o que é a paz? A paz é a calmaria e em alguns casos, ficar tudo como está, sem mudar.
E ela disse, se você quer que algo mude, não vista branco, vista outras cores (vai de você escolher).
Aquilo deu um nó na minha cabeça. O branco é uma cor tão "pura" e de "paz" na nossa cultura, mas que vista de outro ponto de vista, pode simplesmente significar estagnação.

☠ ☠ ☠ ☠

O look básico de umas pessoas é jeans e camiseta, de outras, legging e blusão. O meu é isso aí: blusa preta e saia estampada. É look de dia de preguiça, dia de sair correndo às pressas pra algo inesperado/em cima da hora, look de "vou ali na esquina e já volto". A blusa é aquela da Dark Fashion que eu tô viciada - melhor parar de postar senão vão pensar que só uso ela - mas dá vontade viu? Acho que ainda tenho mais 2 looks fotografados com ela...
Colar de mandíbula da Sourpuss e mãozinha rosa da Sweet Style. O cintinho fino, de spikes, é da C&A.
E sim, eu tenho mania de levantar a sobrancelha direita.


Esses dias vi um post da Madessy sobre sua sandália boneca da Vilela e assim como comentei lá, fiquei a fim de falar aqui também sobre esse tão polêmico modelo de calçado da marca.


A sandália tem bela estética, o material é bom em termos de acabamento, mas o verniz deles é duro demais, que torna desconfortável o uso da peça, o EVA é pesado, que deixa minhas pernas cansadas ao fim do dia, já que é como se eu andasse com "caneleiras" de 2kg.
A numeração também é um problema, meus pés costumam dançar ali dentro, o que acaba estragando o calcanhar das meias por esse atrito. Me incomoda que não é anatômico. E pelo valor, a gente consegue encontrar calçado de marca que tem conforto.
Eu tenho poucos calçados e repito pra caramba os que tenho (uso até acabar), esse é dos que quase não uso.
Dica: comprem esse sapato Vilela de segunda mão. Assim, se não for 100% do seu gosto, não gastaram tanta grana.


Translation:
This week I made some discoveries about feminism and some thoughts we have in common, particularly about consumption and media/advertising. Every day is a day to change your mind. Always being able to review concepts.
I also learned that new and definitive changes comes with rupture. Without break, we did not change.
My outfit is an exemple of my "basic look" for lazy days, to go to street to do something unexpected/go out in a minute. The blouse is from the Dark Fashion (I'm addicted to it!). Jaw necklace is Sourpuss and little pink skeleton hand, Sweet Style.
At the end of post, I basically did a review of my sandals, it is from a brazilian alt brand and a very controversial shoe here in Brazil. Some people love, some hate it. My opinion is that it is too hard, heavy and not much anatomic. But is beautiful and well done. So, I suggest people buy it from second hand (because a new one is expensive) so if not 100% your taste, you not spent so much money on it. 

OOTD: Red Damask

Oi Dyvas, hoje tô postando esse lookzinho antes que ele vá pro limbo junto com muitos outros que não publiquei.
A verdade é que essa semana vai continuar sendo um pouco atarefada então melhor postar hoje só pra garantir.
Sinto que várias leitoras minhas são jovens e eu lembro que na minha faixa dos 17-26 anos eu era muito impulsiva e queria que as coisas acontecessem logo. Eu era impaciente com o mundo, me irritava fácil. Mas daí eu sobrevivi aos 27 anos e entrei no retorno de Saturno e hoje vejo o mundo de um espectro completamente diferente. Eu já consigo "olhar pra trás" e  perceber os momentos em que fui ansiosa, impulsiva, impaciente, apressada e até mesmo chata, grosseira e repugnante naqueles anos. Já consigo ver onde eu errei com meu jeito de garota perdida que não sabia exatamente quem era e onde canalizar minha energia. É que enquanto eu vivia estes momentos, eu não percebia esses sentimentos da mesma forma que hoje - os enxergo por um ângulo bem diferente. Eu também sinto vontade de falar sobre ser do interior e como minha relação com isso foi de altos e baixos durante minha vida. Hoje, pode não parecer, mas eu amo o interior. Apesar de ser entediante, sinto um carinho imenso pelos caipiras ignorantes. Eu sorrio pra eles na rua e eles sorriem de volta, surpresos. Isso é algo que eu percebo ter adquirido com o tempo: mais tolerância e empatia pelos diferentes de mim. Não sei se foi o budismo, o auto conhecimento, a bruxaria, o cosmos, os animais, a natureza ou meu espírito que está me tornando essa pessoa com mais paciência, tolerância e compaixão. Na verdade talvez eu sempre tenha sido essa pessoa, ela só estava escondida nas camadas "sociais" que foram colocando em mim e agora estou me descamando.


 Blusa e Saia - Dark Fashion; Corsage - Devas; Colar - Miniminou
Sandália Melissa; Lacinho - Ideal Shop



Translation:
Hi Divas! Today I´m posting this outfit before it "goes to limbo" along with many others not published. The truth is that this week will continue to be a little busy so, better post today just in case.
I feel that a large number of my readers are young and I remember that in my 17-26 years old I was very impulsive and wanted things to happen "now". I was impatient with the world, easily irritated. But then I Survived the age of 27 and entered the Saturn return and today I see the world from a completely different spectrum. I can "look back" and realize the times when I was anxious, impulsive, impatient, boring, gross and disgusting in those years. Already I can see where I went wrong in that moments where I did not know exactly how to canalize my energy. I also feel I would like to talk more on the blog about being a girl from the countryside and the ups and downs of it in my life. I feel an immense affection by my town and their ignorant rednecks. I smile at them on the street
and they smile me back, surprisingly. This is something that I acquired over time: more tolerance and empathy for people different of me. Maybe it was Buddhism, self knowledge, witchcraft, the cosmos, animals, nature or my spirit that is becoming that person. In fact maybe I have always been that person, I was just hidden in the  'social' layers that were putting in me and now I'm peeling off.

Blogueiras S/A: Incluso na Moda

Mais um projeto que participo do grupo alternativo Blogueiras S/A, desta vez, o assunto é:


"Até quando a popularização de um estilo underground é bom? 
Até onde as pessoas pesquisam sobre as referências mostradas no Mainstream ?
Sobre: O intuito do projeto é mostrar de forma bem pessoal a sua visão sobre a moda alternativa popularizada nas grandes fast fashion. Não é preciso ser entendedora do assunto didático, mas mostrar a sua visão como consumidora e uma pessoa com estilo próprio. Faça um mural (colagem de fotos),com suas principais referências de estilo e fale sobre, expresse o que acha bom e não tão bom assim, no que diz respeito a moda usar fatores da subcultura na moda mainstream.
Afinal, popularizar a venda de roupas underground é bom ou ruim?"


"Popularizar a venda de roupas underground é bom ou ruim? E até quando é bom?
No meu caso pessoal, "encontrar mais facilmente" peças alternative inspired em lojas de departamento, não significa que esteja comprável.
Eu considero que a massificação/popularização de uma estética underground não é boa numa visão ampla, pois perdemos coisas como os significados das estéticas. Se algo se torna de massa (popular), deixa de ser diferente e se torna comum. A cooptação da moda underground/alternativa pelo mainstream SEMPRE existiu. Mas não era massificado, era pontual.
MAS, quando considero uma visão mais detalhada do assunto, penso em pessoas do interior (onde praticamente essas lojas são as mais "modernas") e alternativos de baixa renda e acredito que pra eles sim, a popularização seja algo muito vantajoso pois elas passam a ter acesso à coisas que antes não tinham.

Então minha resposta pessoal pra essa pergunta seria não (porque não satisfazem meu gosto); mas minha resposta em se tratando de realidade brasileira e pensando nos alts que não são de cidade grande, seria sim


Até onde as pessoas pesquisam sobre as referências mostradas no Mainstream?
Realmente não sei dizer. Acho que muitos querem é usar o que está na moda pra ser "cool" e dão um rápido google em informações superficiais sobre as estéticas (do tipo "como usar"). Todo mundo sabe o estereótipo de um punk, um gótico ou metaleiro e são os estereótipos que acabam virando as referências dos estilistas. Ocasionalmente vejo coisas que depois de pesquisar descobri serem mostradas muito erradas no mainstream, como o Seapunk.


"Mostrar a sua visão como consumidora e uma pessoa com estilo próprio. Faça um mural (colagem de fotos),com suas principais referências de estilo e fale sobre, expresse o que acha bom e não tão bom assim, no que diz respeito a moda usar fatores da subcultura na moda mainstream."


Fiz esse mural que resume o meu estilo/coisas que gosto.

Encontro meu estilo em lojas fast fashion?
Dependendo da época do ano sim, especialmente no inverno que fazem mais roupa preta. Gosto de comprar peças pretas, básicas, com renda e atemporais. Que complementem minhas peças alternativas. Mas sempre experimento pois é comum em peça estar mal cortada, torta ou com caimento ruim, daí não compro mesmo que tenha gostado.
Muito raro eu comprar "alternative inspired" nessas lojas, normalmente porque não gosto de como eles interpretam o alternativo.

Eu passei a vida toda comprando roupa "preta/com pegada rock" de lojas mainstream e customizando quando necessário. Minha primeira peça de uma loja alternativa comprei aos 24 anos (isso mesmo!), e foi da Black Frost, uma das únicas lojas da época que vendia roupas alts e eu percebia ter qualidade.
Normalmente, as lojas mainstream faziam o estereótipo, que é um resumo superficial de uma estética, não é algo 100% errado, mas é  injusto e reducionista.  Se a peça estereotipada era um resumo de elementos principais, por mim tava ok, eu comprava. Hoje,a popularização da estética undergound esquece um pouco o estereótipo e ameniza ao extremo.
E daí?
E daí, que o amenizado destrói o conceito original (que a "estereotipagem" até que mantém) retirando tudo que poderia haver de "agressivo", contestador, chocante e excêntrico de uma estética. E não me identifico com conceitos alts lidos dessa forma. Essa moda não me atrai muito. Daí, tendo a comprar peças que caiam mais pro "moderninho" do que pro amenizado. 


Acessórios e Calçados:


Encontro meus acessórios e calçados em lojas fast fashion? 
Acessórios eu economizo e compro de lojas alts mesmo. Gosto de acessórios chamativos e irreverentes. Muito difícil eu encontrar algum acessórios neste conceito nestas lojas.
O que eu já achei algumas vezes em fast fashion é cintinho com pequenos spikes. 
Meias/Meias-calças: isso sim eu compro muito em fast, especialmente na Marisa e Renner. As meias mais malucas eu compro em loja de fantasia e algo muito específico recorro às lojas de meia.
Bolsas: pode ocorrer de eu encontrar na sessão juvenil destas lojas, mas não é regra, como contei aqui.
Calçados: eu gosto de Melissa pois são duradouras. E também All Star. Só que também gosto de sapatilhas e calçados baixos pro dia a dia do trabalho, estes sim acho em lojas fast. Já meus calçados mais excêntricos, pesados e de couro, verniz e plataforma, compro em lojas de calçado.
Então na questão de acessórios, as lojas fast fashion me servem basicamente pra meias e alguns calçados. Novamente o básico.


Concluindo...
Pra mim, não é só enfiar um spike ou uma caveira numa blusa ou num acessório que eu vou comprar. E muito difícil comprar o amenizado, prefiro ir pro "moderninho".
Na questão de consumidora, a popularização de estéticas alternativas não significa que eu encontro mais coisas pra comprar do meu gosto. Existe a oferta de produtos, mas não são exatamente a estética que admiro.

Sendo assim, continuo até hoje sofrendo pra encontrar o que gosto nas lojas fast fashion, passo meses sem comprar nada nelas. Continuo optando por comprar peças pretas básicas ao invés de uma peça de caveira/spike numa blusa de corte ou cor que não me apetece. E mesmo que eu tenha consumido algo "amenizado", por falta de opção,  no conjunto do meu estilo, tento usar adaptando ao meu estilo misturando com peças alternativas ou que fiz.
Etiqueta de uma roupa na C&A que fotografei em maio: "Punk is not dead, It just went pop!"


Isto é tudo Dyvas!


Brief Translation 
This is a "collective blog post" from one of the alternative bloggers groups that I am part on Facebook. Is a post about  our vision about how we consume "alternative inspired" clothes in fast fashion shops and what kind of clothes we like to wear.
In the end, we need to say if we think that the popularization of alternative/underground aesthetics in mainstream is good or bad for us.

In my personal case, "more easily find" alternative inspired pieces in department stores does not mean that is buyable.
I consider that the mass/popularization of underground aesthetics are not good in a broad view, because we lose things like the meanings of aesthetics. If something becomes mass (popular), it ceases to be different and becomes common. The cooptation of underground fashion/alternative by mainstream always existed. But it was not massiveness, was punctual.
BUT, when I consider a more detailed view of the matter, I think of alt people from countryside (where practically these stores are the most "modern") and low-income alternatives - for them and I think yes, the popularity is something very advantageous because they have access to things that previously they did not have.

So my personal answer is not (because those clothes does not satisfy my taste); but my answer when it comes to Brazilian reality and thinking of alts that not live in big cities, would be yes.

That´s all, Divas ;D
 

Universo Alternativo: Uma Peça, três looks: Corselet


Esse é o primeiro projeto que participo do grupo Universo Alternativo!! :D

O projeto se chama: 1 peça 3 looks

"Escolhido por votação, eis aqui mais um projetinho elaborado pelo e para o grupo Universo Alternativo, que consiste em escolher uma peça chave do seu guarda roupas e elaborar três looks com ela."


Pra esse projeto eu sequestrei umas fotos do ano passado que eu ainda não tinha publicado aqui. Tratam-se de três looks do verão com o mesmo corselet da Dark Fashion que eu considero ser uma peça chave, porque além dele combinar com muuuitas peças do meu armário, ele levanta qualquer look!
E sim, amo sapato boneca com meia, estando na moda ou não.

Look 1: Street Style
Esse é um look que considero "básico com estilo". Básico porque se retirar o corselet, é só uma blusa e saia pretas, ou seja, básico do básico. Onde vai esse look? Pra todo lugar. Calçada ruim, vai andar muito? É só trocar o calçado por uma botinha allstar, coturno, uma Melissa baixa ou uma sapatilha. Vai continuar sendo style.
Vai pra shopping, cinema, jantar, almoço, café, chá, festinha, encontrar amigos. E com um calçado baixo vai pra rua caminhar, ver vitrines, comprar coisinhas, passear no parque...

São duas blusas, uma preta básica e uma renda por cima. Corselet. Saia que eu fiz. Meia 3/4 abaixada e Sapato Boneca. Acessórios do acervo.




Look 2: Passeio
Eu brinco dizendo que esse é meu look "boneca".
A saia eu fiz inspirada numa saia Lolita que vi numa revista KERA. A saia de renda, é na verdade um avental que fiz, já mostrei ele aqui e aqui. A blusa, é uma nadadora de renda só na frente. Esse colar de miçangas pretas eu comprei numa loja de biju e modifiquei. Ele tinha uma flor de tecido numa das voltas. Eu tirei a flor e fiz um broche de laço de renda e colei uma caveirinha. Daí prendo o broche no colar e na blusa pra dar um up. 
A meinha de tule, eu paguei míseros R$2,00 numa loja de China (olha o trabalho escravo aí!). Sempre compro meias-calças e meinhas em lojas de chinês... aiai sei que contribuo pra exploração de seres humanos, mas juro que eu compro super pouco nessas lojas!!
E a foto da esquerda é a do meu perfil no Face (preciso trocar mas esqueço...).
E se tirar o corselet, fica igualmente um look bem basiquinho, mas ainda embonecado. 
Esse look vai pros mesmos lugares citados no look anterior (podendo trocar o calçado) mas eu acrescentaria alguma festa de aniversário e natal.


 


Look 3: Show/Evento
Esse é um look mais "impactante" e seria pra um  "evento social com friends". 
Eu não sou muito fã do ambiente de casas noturnas, mas se fosse o caso de eu ir, poderia usar esse traje. Também é opção pra ir em bares e shows de bandas famosas, contanto que eu ficasse no camarote ou no fundão, porque não rola ficar na pista, amontoada, usando saia (entendedores entenderão). Mas eu trocaria o sapato por uma bota ou coturno pra ir num festival de Metal, por exemplo.
Esse look é total Dark Fashion. Blusa, corselet e saia. O calçado é Pulo do Gato e as pulseiras são de loja de rock, básicas.


Esse corselet não foi feito sob medida. Era um modelo pronto. Daí que ele fecha todinho atrás (acho bonito assim, gosto mais do que os que ficam abertos) só que nas laterais, ele sobra mais ou menos 1,5cm. Então ele não fica preso no meu corpo de forma que impeça meus movimentos. É bem sossegado usar ele.
E eu acho linda essa saia vista de costas *_*



Espero que tenham gostado, estes são os blogs participantes:

4sphyxia
Nosferotica
Achados de Luna
Mone Venzel
Inexplicited
Nox et Lux
Tari Belmont
Dias de Cheshire
Inconstante e Borboleta
Bah Lopes


Brief Translation
This is a "collective blog post" from one of the alternative bloggers groups that I am part on Facebook. It is to publish 3 different outfits with the same piece of clothing. I chose the corselet from Dark Fashion store and explained where use each visual (on the street (first), to go for a walk/friends gathering (second), an event or party (third)).


 
UA-64567581-1