Num dos grupos de blogagem coletiva que faço parte, o Season of the Witch, surgiu um projeto chamado Cápsula do Tempo
Achei curioso que na minha timeline do Facebook algumas pessoas estão participando de uma corrente bem similar, mas este que postarei agora foi criado dentro do grupo mês atrás e sugere a seguinte pergunta:

"Se pudesse entregar uma carta para você mesma no passado, como seria? O projeto consiste nesse conceito, em fazer uma cápsula do tempo às avessas. Onde fazemos um apanhado do nosso hoje e levamos para o nosso ontem. "
  




O fato é que cresci e perdi muito da ingenuidade e esperança de quando era mais nova. De repente percebi que muitas coisas perderam o encanto, não porque não sejam encantadoras mas porque passei a vê-las como realmente são, sem ilusões ou sonhos. Hoje acho que é mais difícil pra mim ser feliz sabendo tanto do mundo. E não quero viver numa bolha de falsidade, fingindo que o mundo é perfeito. E está bem complicado não saber o que será do Brasil amanhã no meio de um crescente conservadorismo e intolerância que com certeza afeta os diferentes.

O Projeto diz pra fazemos um apanhado do nosso hoje e levarmos para o nosso ontem. Mas a cada dia, eu sinto o contrário. Eu sinto que a Sana mais jovem tem muito mais a me ensinar que a Sana mais velha. Busco inspiração naquela Sana jovem. Às vezes eu até queria ser ela de novo, não pela juventude mas pela gana e energia de  encarar o mundo à sua frente.
Cada vez que penso no meu passado,  não é pra "consertá-lo" é pra resgatar algo que perdi. 
Que perdi porque o mundo é seco e cruel, porque os afazeres adultos consomem as energias; porque algumas pessoas gostam de encarnar o papel de fantoches ignorantes. E outras sempre jogam aqueles pensamentos ruins sobre t-u-d-o, mesmo que elas não percebam.
A Sana do passado podia ter seus altos e baixos mas não precisava de tantas máscaras sociais. A vida era realmente mais simples mesmo não sendo fácil.
E eu sempre penso que o que eu faço hoje não pode decepcionar a Sana jovem.

Decidi enviar essa cápsula do tempo à mim mesma aos 17 anos.
Durante a vida escolar, achava escola uma prisão que fazia todo mundo pensar igual, criando robôzinhos. Essa impressão se dava porque era uma escola que educava pro vestibular e tinha uma diretora que não suportava alunos "diferentes". As aulas que eu mais gostava eram de humanas, como literatura e história da arte, geografia e o trio sociologia, história e filosofia porque os professores eram os que mais estimulavam o questionamento.
Só que eu era cheia das opiniões próprias, questionamentos, atrevimentos, rebeldias e impulsividades e podem ter certeza, assim como não ouvi conselhos na época, não creio que ouviria este.
Até ouviria, mas pelo que eu era, nem levaria tanto em consideração. Então, o que a Sana adulta faria, seria usar melhor as palavras de forma que a Sana jovem as aceitassem mais facilmente...

Minha carta seria: não desista da sua rebeldia e nem aceite passivamente uma mudança no seu jeito. Não abandone seu engajamento em causas políticas, seus interesses na sociedade. Você deve continuar lendo sobre história, sociologia e filosofia!
Mesmo que te digam coisas más, mesmo que você veja a maldade do mundo, existem formas de ser ativo e instigar mudanças nas pessoas.
É completamente possível ser rebelde! Basta canalizar essa energia à projetos que você se identifica. As pessoas tendem a associar rebeldia com "coisa errada", mas isso é uma forma de calar quem não aceita o que foi imposto.
Dizer que rebeldia é ruim, é uma forma de silenciar mentes inquietas. Mantenha sua mente o mais inquieta que conseguir!


Em breve tem mais projeto do Season of the Witch por aqui! 
Bjs!! ♥



Uns tempos atrás li um texto da newsletter da escritora Aline Valek. O título era "Não deixe o link morrer". Deixarei o link mais abaixo, trata-se de um texto sobre o fato que as mídias/redes sociais "engoliram" os blogs e direcionaram o olhar das pessoas para imagens.

Muito se tenta reativar a forma como os blogs interagiam antes entre si antigamente. Os grupos de blogagem coletiva tentam resgatar isso, mas muitos grupos se tornam também espaços de divulgação. Pra mim, isso só demonstra como esses "espaços de divulgação", antes feitos pelos próprios blogs, migraram para as redes sociais. E são extremamente necessários pros clicks circularem!

Segundo Aline Valek, 
"links são a base da internet e são eles que nos permitem explorar tudo o que ela tem para oferecer em seu mundo. Bem antes de existir o Google, os primeiros blogs funcionavam como centralizadores de links; uma página onde a pessoa guardava as páginas interessantes que ela encontrava no faroeste internético, quando boa parte de tudo isso aqui ainda era mato. Era uma época em que você tinha que pegar os sites na unha. Para acessá-los, era preciso saber o endereço. Então os blogs que faziam essa curadoria de links facilitavam a aventura de explorar a world wide web.
Mas vieram as redes sociais e os links passaram a perder valor. As pessoas são incentivadas a postar o conteúdo diretamente nas redes sociais, e desencorajadas a postar links que levem para outras páginas. O Zuckeberg é um que odeia links. Ele faz isso porque quer que você não saia do ambiente do Facebook ou do Instagram; não porque goste de você, mas porque deseja centralizar o máximo de poder e lucro só pra ele. Essa centralização ajudou a atrofiar os blogs e iniciar uma nova era, onde a livre navegação pelos mares da internet foi dando lugar a uma passiva rolagem de tela para ver o que cai ali."

A autora também comenta sobre o péssimo hábito de se compartilhar prints de imagens aos invés do link original: "Porque ao printar e compartilhar a imagem, você está desvinculando aquele texto/comentário da fonte original. E isso é acabar com uma coisa importantíssima: a capacidade de checar fatos e rastrear informações. De onde vem essa info? É fonte confiável? Qual é a data? De quem é a autoria?  
E é triste que a internet esteja perdendo a cultura de linkar e compartilhar links, para favorecer a imagem, sempre a imagem, nessa nossa cultura de aparências e de consumir as coisas rapidinho para já passar para a próxima.
Imagine se as pessoas compartilhassem com o mesmo gosto aquilo que elas acham bacana e construtivo. Muitos blogs e projetos não teriam morrido. A internet talvez estaria mais suportável de se habitar. Então não deixe o link morrer. Não deixe o link acabar. A internet é feita de links; de link pra nóis navegar." 


Então EU decidi publicar minhas linkagens, pois não quero que blogs morram e quero que matérias que achei interessantes sejam acessadas!
Quero aproveitar e convidar meus leitores a quem sabe, talvez, um dia, pensarem nessa possibilidade de interação. Que esqueçam egos, esqueçam "dar ibope pra um blog que já é conhecido", ou "porque não quero que você tenha acesso" ou ainda "porque tal blog é muito pequeno", ou  porque "não gosto da fulana embora ela faça posts ótimos". Sinceramente não leva a nada pensar assim. Na verdade é um pensamento horroroso, egoísta e que emana péssimas energias. Imagine se nós nos compartilhássemos: clicks circulariam, pessoas conheceriam blogs e seguiriam!

Sozinhos somos raros. Juntos somos fortes.


Como podem notar na lateral esquerda desse blog, existe um blogroll de alguns blogs que acompanho (tenho 30 blogs listados, mas o blogger só mostra 25). Decidi resgatar isso no Diva porque sinto que o mundo blogueiro alternativo atualmente não se compartilha tanto quanto deveria, sendo nós uma "comunidade de outsiders" (tenho blogroll no Moda de Subculturas também desde o início daquele blog!) deveríamos apoiar mais uns aos outros... Não sei o motivo, mas acho um saco  isso de se "profissionalizar" ou se "comercializar" e riscar do layout os blogs que lê. Se somos alternativos, por que imitamos esses hábitos "higienizadores de layout" do mainstream se nossa única forma de "mídia" é um compartilhar o outro

A intenção é fazer com que links legais circulem de forma espontânea. Sim divulgados "gratuitamente"! Não é possível querer monetizar (ou ganhar algo em troca) só pra linkar um post que você curtiu! Isso beira o absurdo! É uma coisa tão legal ir clicando nos  links ou blogroll de outros blogs e ir criando uma rede de leitura... E às vezes a gente não conhece um blog e alguém joga um link dele e a gente clica e daí já lê o blog todo, conhece, segue...

E veja bem, não é um "projeto do Diva Alternativa". Minha única regra é linkar sempre algum blog alternativo que curti as postagens porque blogs alternativos precisam ter conexão entre si pra sobreviverem... (quem sabe você se vê por aqui e vejo um dos meus blogs linkados por aí! :D)

Embora se chame "linkagem da semana", não postarei toda semana e sim, quando eu tiver links legais a mostrar. Mas a ideia tá aí! Então segue minha primeira leva de links!

LINKAGEM DA SEMANA #1

Artigos/Assuntos Diversos:


Blogs Alternativos:
* Dois links sobre Lovecrat porque é meu escritor de horror/ficção favorito rsrs! 


Até a próxima Dyvas!  

P.S: tô devendo uma finalização sobre  os textos de "Publicidade em blogs alternativos". O texto tá pronto a um tempão mas ainda não publiquei por motivos de indecisão se publico no blog ou em formato ebook (texto pra download) hehe!




No post anterior falamos da importância de definir seu nicho. O nicho vai te categorizar dentro de um segmento de mercado, e a partir disso você poderá estudar que tipo de parcerias e publicidades se encaixariam neste nicho.
Lembrando que são apenas DICAS e não regras de conduta, pois sempre há nuances em cada caso e só você sabe o que fica melhor em seu blog.

Sabem aquilo de "não faço parte de grupo" ou "não gosto de me categorizar". Se você é de nicho, você consequentemente FAZ ou É parte de um grupo/categoria/segmento de mercado. E você vai ter que estudar esse segmento pra interagir com ele, afinal, fazer parceria é entrar como divulgador de empresas.

Antes de ler este artigo, você já leu os anteriores pra se situar? Se não, seguem os links:
1. Sobre parcerias em blogs alternativos: "Se eu te der um colar, você escreve sobre minha loja?
2. Blogs e Instagrams Alternativos: a exigência de números é mais prejudicial do que parece!
3. Blogs e Instagrams Alternativos: a compra de likes
4. Publicidade em Blogs Alternativos - Como Começar? 


Conteúdo 
- É mito dizer que tem que postar todo dia. 1 artigo bom é melhor que 5 meia boca. Ter qualidade é melhor que quantidade. E assim você dá tempo do leitor acessar seu blog, afinal, seu leitor deve visitar dezenas de sites por semana, já pensou nisso? Então esquece essa neura de "prometo postar mais por aqui"... 

- O que você pode fazer é distribuir seus posts programando-os. Acha que vai ficar vários dias sem postar nada ou quer postar coisas todos os dias? Programe-se! Programe os posts pra serem publicados 1 ou 2x por semana se for o caso, crie uma agenda. 

- Se vai escrever algo relevante, evite textos rasos, com menos de 500 palavras. Faça pesquisas fundamentadas ou publique opiniões com seus pontos de vista ou análises. Faça o leitor querer voltar a seu blog, seduza com a escrita, com as palavras, com as imagens...
Se todo mundo tá fazendo curto, faça longo. Se todo mundo tá fazendo verde, faça azul. Essa diferenciação atrai, gera curiosidade e faz as pessoas quererem voltar pra ver o que você aprontou agora.

Produza conteúdo e se necessário, programe postagens.

Influência
Se um dia alguma loja virar pra você e dizer algo: "seu instagram/seu blog não é influente". Pense: "não é influente pra quem?" Se você tem seu blog, você tem seu público. E muitas vezes uma pessoa com 500 fãs no insta é mais influente em seu NICHO do que se tivesse 50 mil seguidores mainstream que não vão comprar nada da loja alternativa (só vão admirar as fotos)! 
Por isso que digo que tem loja que tá perdida nesse lance de divulgação. Elas estão confundindo influência com números quando se trata de nicho! Portanto questione sempre estes detalhes.

- Se você fala diretamente para seu nicho; se aborda um nicho dentro do nicho; se oferece conteúdo autoral e de qualidade que faz pessoas voltarem sempre ao seu blog, acaba gerando uma influência/forma opiniões. Mesmo que seja um blog de looks/lifestyle. 

Você bloga looks do dia mas mora no sertão nordestino. Como se manter alternativa - não necessáriamente gótica ou headbanger, especialmente porque o nicho "gótico" já tem muita gente abordando - naquele clima seco e quente? Você vai estudar pesquisar tecidos, tipos de roupa e vai criar looks em cima disso. Seu blog terá um nicho.

- O nicho geralmente requer conhecimento sobre um tema e isso, é só estudar, pesquisar, algo que realmente goste, independente de modismos. O nicho sempre terá menos publico que o mainstream, mas o que importa é o conteúdo. E anunciantes podem se interessar por seu público.

Seja criativa!
 
Mídias Sociais
O mundo diz que devemos estar em todas as redes sociais possíveis. Somos blogs alternativos e em alguns casos é meio impossível estar em todas as redes sociais por causa de tempo. Lembre-se que grandes blogs mainstream tem uma equipe de trabalho, ou seja, nem sempre quem cuida das redes sociais é exatamente a blogueira.

Tendo um blog você tem controle sobre seu conteúdo. As redes sociais trazem tráfego pro blog, mas não monte seu blog totalmente focado nelas!
Se busca acesso em seu blog, não monte seu blog totalmente nas mãos das redes sociais porque no face, insta e etc, você fica a mercê das regras deles. O facebook só manda o feed pra 1% dos que deram like nas páginas. O Insta recentemente também reduziu o envio do feed (não sei qual porcentagem é), a intenção deles é que você pague anúncios pra ser divulgada (sim, a grana vai pro Vale do Silício!). E lembrem-se que Myspace e Orkut sumiram e perdeu-se o conteúdo de lá
Focar 100% nas redes sociais que mudam de regras a toda hora pode ser complicado. De repente você faz um post super legal no Face ou Insta e com o tempo aquilo se perde. No blog, sempre estará lá.

Então o que fazer?
Esteja nas redes sociais que você mais se identifica.
Mas lembre-se que cada uma delas tem um estilo, uma linguagem.

Se você visa crescimento do blog em acessos (números),
suas redes sociais devem redirecionar as pessoas ao blog! E não o contrário.

Por exemplo, se você tem um blog e quer acessos, mas posta mais sobre "me segue do insta". Analise esta atitude. O ideal é usar o face/insta pra redirecionar ao blog: Posto foto no insta e digo: "link pra matéria do blog na bio" ou já deixo o link da matéria no perfil do Insta ou jogo um link (tem gente que acessa Insta pela web e consegue abrir os links copiando e colando).

Fez um vídeo e jogou no youtube? Mas peraí! Você não quer acesso em seu blog?
Fácil: poste o vídeo no blog e divulgue o post do blog! Se divulgar apenas o link do youtube, o blog não receberá esse acesso. 
Pense nestas divulgações "casadas".
O que você tem que fazer pra trazer acesso ao blog e chamar as pessoas pra ele!
Lembre-se que acessos demoram um pouco pra vir, a não ser que você seja abençoada com uma fama instantânea por algum motivo (bom, de preferência rsrs).
Por isso, faça seu conteúdo, como você gosta, como você é, redirecione as pessoas para seu blog e vá analisando os resultados.

Sobre as mídias sociais:
1. Use-as pra divulgar o blog e os posts
2. Adeque as publicações em cada uma delas.
Ex: Não poste a MESMA coisa em todas as mídias. Poste coisas diferentes. Senão as pessoas não vão te seguir em todas, fica entediante.
Se eu postar mesma foto no Face, no Insta, no G+, no Tumblr... porque a pessoa vai me seguir em todas as mídias se eu posto a mesma coisa em todas? Então você tem que produzir conteúdo adequado a cada uma das redes sociais.

Analise seu nicho, seu público e vá criando identidades para suas redes sociais. 
Se precisar, vá anotando as ideias e os dados!


Layout 
Um layout que represente seu blog é fundamental. É a mensagem que você vai transmitir pra quem chega através do conteúdo e elementos visuais que compõem seu blog.

No caso de blogs alternativos não vejo como obrigatório um layout e servidor próprio, pois o mais importante é a personalidade da blogueira, mas caso deseje um layout e servidor próprio, vá em frente. Procure layouts que te representem. Procure escrever - se seu foco é texto - em letras boas e bem fáceis de ler. Se seu foco é em imagens, talvez um visual clean as destaque. Se o foco é você, sua vida, tente fazer o layout ter a sua cara!



Estou chegando ao fim destas postagens sobre blogagem. No máximo mais dois posts.
Espero que as dicas estejam aproveitáveis e até a próxima, Dyvas!

 


Existem pessoas que gostam de blogs mais pessoais e intimistas, mas e quem quer colocar publicidade em seus blogs, quais as dicas? 

Lembre-se: se seu blog é alternativo, NUNCA se compare com blogs mais mainstream! O alternativo tem diversos nichos, cabe a você decidir seu nicho e confiar na sua capacidade. Mas as "técnicas" de publicidade podem ser as mesmas usadas no mainstream.
Um ponto a se observar é que algumas meninas alternativas que tem muitos fãs ou blogs muito acessados, flertam com o lifestyle, comércio e padrão de beleza mainstream, por isso elas conseguem muitos seguidores. Mas se você não se identifica com isso, se o mainstream não te atrai, mantenha-se alternativa e fiel aos seus valores pra criar credibilidade no seu nicho. Você terá seu público, eles irão reconhecer que você é autêntica.


Para tornar seu blog com mais potencial comercial, você:
Precisa redirecionar seu conteúdo. 

O que quero dizer com isso?? Que você PRECISA decidir qual será o assunto foco de seu blog.

Vou dar meu exemplo pessoal aqui:
Em outubro de 2009 criei o blog Moda de Subculturas pra falar sobre... subculturas. 
"Subculturas" - é o assunto foco do blog. Ou seja, todo o resto do conteúdo é diretamente ligado às subculturas.
Ok.
Só quem em janeiro de 2010 - 3 meses depois da criação do MdS - eu queria falar de coisas pessoais mas que não cabiam no MdS. Foi aí que criei o Diva Alternativa.

Por ser de nicho, o Moda de Subculturas tem seu público e é mais fácil eu formar uma estratégia de publicidade nele. Enquanto que o Diva Alternativa, por conter assuntos "aleatórios" focados na minha pessoa, tenho mais dificuldade em aceitar publicidade, pois é MINHA imagem que será associada. 
Existem blogs pessoais que o foco é a "vida da pessoa" e, pra esses blogs terem publicidade, a vida/imagem dessa pessoa tem que ser vendável.
Eu não me acho vendável, por isso não coloco publicidade gigante no Diva. 
Em contrapartida, acho o MdS um blog "vendável", porque engloba assuntos de entretenimento, cultura e informação, um bom local pra colocar links de empresas interessadas no público que gosta das subculturas, tribos de estilo e moda alternativa.
Acho que ficou bem fácil entender a diferença dos blogs né? Optei por escolher um tema como foco, que fez um blog crescer mais que o outro.

Então: 
- escolha seu nicho (no Moda de Subculturas meu nicho são as subculturas do Rock porque eu sou fã de Rock);
- escolha seu assunto principal: algo que você é apaixonada, que gosta de falar sobre o tempo todo e que não perde o interesse. Pode ser algo que você é realmente boa em pesquisar, analisar, pode ser uma de suas competências profissionais, algo que você não cansa (no Moda de Subculturas, eu falo de um tema que amo, tenho curiosidade, nunca me cansa e sempre me inspira).
- Se for um tema com "pouca concorrência" de blogs, melhor ainda (quando criei o MdS nenhum blog nacional falava da influência das subculturas na moda mainstream, esse foi o "gancho" que o tornava diferente dos outros blogs); 
- Procure conteúdo semelhate na web e analise, veja o que falta ou o que não está tão bem feito ou explorado e seja a pessoa que vai oferecer isso (eu procurava informações sobre subculturas e o que eu encontrava não me satisfazia, então decidi que eu seria a pessoa que ofereceria aquele conteúdo que eu procurava e pra isso, tive que aprender a pesquisar nas fontes certas e me dedicar à escrita. Isso fez com que as pessoas passassem a indicar o blog e assim ele foi crescendo).


 AMO estudar e aprender sobre subculturas do Rock, nunca me canso
por mais que os anos passem ou que "saia de moda".


Hoje está em alta falar de maquiagem. Você ama maquiagem? Ótimo. Mas já pensou se um dia isso passa? Por isso é necessário a paixão pelo que se escreve, porque independente de um assunto estar na moda ou não, você continuará firme. Sua motivação será  seu amor pelo tema. 

Você gosta de blush? Que tal um blog de maquiagem com foco no blush, desde sua história à dicas de uso e marcas?
Você é alérgica à alguns produtos? Que tal dicas de maquiagens hipoalergênicas?
É índia, negra, muito pálida: maquiagens e cores que ficam boas no tom de sua pele. Pra isso, um estudo sobre cores, um estudo sobre marcas rolará como assuntos interligados... 
É vegana? Idem!
E assim vai...
Com certeza TEM um assunto que você ama e que faz seu coração bater! Pode ser um escritor, um tipo de literatura, seus filhos, seus animais, suas ideologias, suas crenças, música...

Definido seu nicho, defina seu tema foco (todos os outros girarão em torno dele).  
 
Menos postagens "aleatórias" - foque em segmentos que gosta e produza um conteúdo autoral com qualidade. Se o conteúdo for original e se você tiver algo de "diferente" a oferecer, melhor ainda. Pra quem faz look, o fundamental é definir seu estilo baseado em seu gosto próprio, não sendo necessário "seguir tendências alternativas" e nem "modismos alternativos". Quanto mais autêntica você for, mais interessante se torna aos olhos do público.
Notou que algumas meninas que se destacam na web com seus looks seguem um estilo bem pessoal e não necessariamente modista?
Como descobrir  seu estilo próprio? Com autoconhecimento. Às vezes você curte looks que outras pessoas não gostam, mas e daí? Você gosta e é isso que importa.
Se o foco do seu blog é seu lifestyle ou suas opiniões, escreva bons textos, de forma clara e direta, atraia o leitor para "sua vida". Leia e releia o texto pensando se você se sentiria atraída pela escrita.

Em dúvida? 
Teste o que funciona melhor no seu blog (tipos de post). Veja quais são seus posts com mais views ou com mais comentários e observe, analise o que fez as pessoas se atraírem por aquele post específico que pode vir a se tornar seu nicho ou tema principal.