A bruxaria ou aparentar-se com o estereótipo de uma bruxa está na moda. Então, decidi fazer uma sequencia de posts falando um pouco sobre A Arte, para quem sabe, difundir um pouco de informação. E talvez pela estética, a bruxaria tem sido muito "romantizada", tenho meus poréns sobre  ela ser usada como uma estética só pra "parecer diferente" mas sem a pessoa ter ao menos um mínimo de identificação. Acho que as meninas que se vestem "de bruxa"/witchy inspired, podem se identificar com os conceitos ou até mesmo possam vir a um dia serem parte do paganismo.

Neste post, falarei da Wicca - que descobri lá por meados da década de 1990, quando li o livro Brida de Paulo Coelho (pois é). Me identifiquei com a personagem que como eu, já se interessava pelo assunto. Antes eu só tinha conhecimento da bruxaria tradicional e não do ramo denominado "Wicca". Aqui apresento um resumo do que é, de onde veio, o que se acredita. Ao fim de cada post (serão três) tem as fontes consultadas, pois bruxaria é auto didatismo então, tem que correr atrás de fontes confiáveis pra aprender, pois não existe um dogma, uma Igreja, um livro sagrado... você é responsável em se comprometer por livre e espontânea vontade!

"O Paganismo não tem hierarquias nem mestres, é indispensável que cada indivíduo, cada grupo, faça as suas investigações, as suas recolhas de mitos e rituais que o ajudam a orientar o seu caminho."

Foi com base em algumas tradições populares europeias, em ensinamentos de diversas escolas ocultistas, em técnicas usadas pelos xamãs e várias outras fontes que se foi construindo o Paganismo, Neo-Paganismo ou Religião Antiga.
Dentro do Paganismo existem diversos ramos, cada um com tradições e mitos próprios. Aquele que mais tem se desenvolvido, sendo neste momento o mais representativo, é designado Wicca (Bruxaria ou A Arte). A divulgação pública da Wicca começou no fim dos anos 1940/inicio dos anos 1950 na Inglaterra, com a publicação por Gerald Gardner das obras "High Magic's Aid", "Witchcraft Today" e "The Meaning of Witchcraft". O primeiro destes livros foi redigido em forma de ficção devido às leis anti-bruxaria vigentes no Reino Unido até 1951 (sim, até pouco tempo atrás!!). Embora muito criticado na época por quebrar a longa tradição secretista da Bruxaria, com aS publicações, Gardner deu início a um movimento de expansão que até hoje não parou, incentivando a divulgação de conhecimentos até então secretos e a uma estruturação básica para uma forma de manifestação religiosa individual.
No original, as denominações utilizadas para esta "religião" são "Witchcraft", "Wicca", "The Craft" ou "The Old Religion", sendo os praticantes geralmente conhecidos por "Witches" ou "Wiccans".

 


A Wicca
Todo o Universo foi criado por uma Grande Mãe. Entre os povos que dependiam da caça, surgiu o culto ao Deus dos Animais e da Fertilidade, também conhecido como Deus de Chifres ou Cornífero. Os chifres sempre representaram a fertilidade, coragem e todos os atributos positivos da energia masculina, representando também a ligação com as energias cósmicas. Hoje a figura do Deus Cornífero é bastante problemática, pois com o Cristianismo, ele foi usado para personificar a figura do Diabo, entidade criada pelas religiões judaico-cristãs. Ele não é reconhecido e muito menos cultuado pelas Bruxas. Quando falamos em fertilidade na bruxaria, não é apenas a reprodução sexual, mas também a fertilidade da terra, da natureza, dos animais. A fertilidade da terra nos dá os alimentos!

Quando os Celtas invadiram a Europa, quase mil anos antes de Cristo, trouxeram suas próprias crenças. O conjunto de Deuses e Deusas dessa cultura é hoje o mais utilizado nos rituais Wicca, embora possa-se trabalhar com qualquer Panteão, desde que conheçamos o simbolismo correto, e não misturemos os Panteões num mesmo ritual.
Mesmo com o advento do Cristianismo, a religião da Grande Mãe continuou a ser praticada, pois havia certa tolerância por parte dos romanos, chegando a certos ramos da bruxaria a incorporar elementos do Panteão Greco-Romano, especialmente na Bruxaria Italiana (Stregheria). Foi somente na Idade Média que a Bruxaria foi relegada às sombras com o domínio da Igreja Católica e a criação da Inquisição, cujo objetivo era eliminar de vez as antigas crenças que eram diferentes do Cristianismo.
Durante a Inquisição, o medo fez com que muitas bruxas permanecessem no anonimato para resguardarem a vidas e a famílias. Muitos dos conhecimentos, de escritos (os livros eram queimados) passaram a ser transmitidos oralmente e assim, muito se perdeu. Por isso, não é correto dizer que a Wicca de hoje é a mesma de séculos atrás. No presente, ela é um redescobrimento, sendo parte do chamado Neo-Paganismo.



O que é Wicca?
Wicca é uma religião de natureza xamanística, positiva, com duas deidades maiores reverenciadas e adoradas em seus ritos: A Deusa (o aspecto feminino e ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã) e sou consorte, o Deus Cornífero (o aspecto masculino). É
panteísta (o Universo, a Natureza e Deus são a mesma coisa) e politeísta (vários deuses).
Frequentemente, a Wicca inclui a prática de várias formas de Alta Magia com propósitos de cura psíquica ou física, neutralização de negatividade e crescimento espiritual, e ritos para a harmonização pessoal com o ritmo natural das forças da vida marcadas pelas fases da lua e pelas quatro estações do ano.

Outras características:
- os Deuses tanto estão no Universo, no Planeta, quanto dentro de cada um de nós. Nós somos manifestações dos Deuses.
- Amor e respeito pela Natureza como algo divino. A conscientização ecológica é uma necessidade e acaba sendo praticamente uma obrigação pra tudo dar certo.
- Tem descontentamento com as organizações religiosas monolíticas e desconfiança de supostos messias e gurus.
- A convicção de que os seres foram feitos para viver vidas repletas de amor, alegria, prazer e humor.
- A concepção de "pecado original" inexiste. Os wiccanos não aceitam o conceito arbitrário do pecado original ou do mal absoluto, não acreditam em céu ou inferno. Eles crêem que quando morremos, vamos à Terra de Verão (ou Terra da Juventude Eterna), onde recobramos nossas forças e nos tornarmos jovens novamente.
- O direito de agir como bem quiser, desde que isso não prejudique a ninguém.
- O conhecimento de que, com treinamento e intenção apropriados, as mentes e os corações humanos são totalmente capazes de realizar magia.
- A importância da conscientização e celebração dos ciclos solar e lunar e também de outros em nossas vidas.
- Uma grande fé na capacidade das pessoas de resolverem seus próprios problemas e dificuldades.
- Um total compromisso com o crescimento, evolução e equilíbrio pessoal e universal. Espera-se que o pagão realize esforços intermitentes nessas direções.
- Não praticam qualquer forma de baixa magia, magia negra ou "mal". Não cultuam nenhum diabo, demônio ou qualquer entidade do mal.
- Não tentam converter membros de outras fés ao Paganismo. Respeitam todas as religiões e acham que a pessoa deve ouvir o "chamado da Deusa" e desejar verdadeiramente, dentro de seu coração, sem qualquer influência externa ou proselitismo, seguir o caminho Wiccano.

O dogma principal da Arte Wicca é o Conselho Wiccaniano, um código moral simples e benevolente:
SEM PREJUDICAR NINGUÉM, REALIZE SUA VONTADE.

Ou, em outras palavras: você é livre para fazer o que quiser, contanto que de forma alguma, prejudique alguém - nem mesmo você!
A Lei Tripla (Lei de Três) é uma lei karmica de retribuição que se aplica sempre que você faz alguma coisa, boa ou má. Não que você será "castigado" por um ato mau, porém, quando você envia uma energia, o curso natural dela é voltar à você. Assim, caso envie algo negativo, essa força fará seu caminho, se fortificando, e retornará até você.

Eu imagino que se o mundo tivesse mais bruxos ou wiccanos, boa parte das coisas ruins de nosso planeta estariam sendo curadas. Pois o homem quando respeita a natureza, não destrói; quando ele não impõe sua vontade à dos outros, não há porque existir guerras ou violências...

Espero que tenham gostado e até o próximo post! ;)
 

Fontes do texto:
A feitiçaria moderna, Gerina Dunwich
A Dança Cósmica das Feiticeiras,
Starhawk 
As Bruxas do Brasil, Micaela Elegel
Dreaming the Dark, Beacom Press


7 Comentários

  1. Que post maravilhoso!! *-*
    Espero que muitas pessoas vejam e compartilhem, porque informação sobre A Arte, nunca é demais, principalmente hoje em dia, que está tudo banalizado e transformado em modinha!!
    Ótima essa sua idéia, já estou aguardando os próximos posts!!
    Beijos.

    http://creepybeauty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen sua linda, obrigada!!
      Modinha... às vezes me dói o ♥ por causa de umas banalidades que vejo aí, triste maaaasss vamos que vamos!
      Bjs!

      Excluir
    2. Muito bom o post! Obrigada pela elucidação!

      Excluir
  2. ora ora, vc descobriu com a Brida, eu descobri com o pentagrama. Sempre fui fascinada pela estrela de 5 pontas, e ao procurar desenhos dela para tatuar, descobri a Wicca. Aí li um livro chamado "Revelações de uma bruxa", da Márcia Frazão, e aí comecei a ler a respeito.
    A lei tríplice é uma das mais difíceis de observar. Isso porque parece simples não fazer o mal a alguém, mas tudo é muito relativo, muito maleável, e com isso muitas vezes a pessoa pode cair em perdições. É preciso estudar muito, entender o poder mágico e como ele flui, para daí mexer com as forças universais.
    Gostei do post e estou ansiosa para ver mais!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vívien, sabe que não me lembro quando conheci/descobri o pentagrama? Eu gostava desde novinha do "conceito" bruxa. Tanto que eu preferia elas nos contos de fada, me fascinavam. E talvez por isso eu tenha caído em Brida, porque a pessoa que me indicou falou que era história "de bruxa" rsrs
      Adoro a Márcia Frazão! Aquele livro de culinária dela eu sempre uso :D
      Eu sou da opinião que a aplicação da lei triplice na minha vida tem muito a ver com despreendimento, exige um certo nível de pureza e até mesmo inocência. Mas claro, é como sinto que funciona pra mim, eu não sei desejar o bem pra mim desejando o mal pros outros porque já senti na pele essa experiência que aliás, foi minha primeira experiência com magia, ainda criança ;)
      Que bom que gostou Viv!! ♥

      Excluir
  3. Adorei o post Sana!
    Tão bom achar pessoas confiáveis que falam do assunto.
    A internet ao mesmo tempo que ajuda, atrapalha, já que vemos tanta coisa falsa escrita por aí. ^^
    Vou aproveitar as referências dos livros para ler depois.
    Quando li Brida eu já tinha conhecido a Wicca. Pra falar a verdade, eu não lembro bem como eu conheci. Mas sei que me interessei bastante pelo assunto.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem bastante coisa na web mesmo, mas algumas não são 100% confiáveis pq às vezes as pessoas colocam a propria opinião junto, daí confunde...
      Na web tem bastante livro pra download, daí você pode ler no celular ou no tablet quando quiser ;D

      Excluir

Obrigada pela interação. Os comentários serão respondidos aqui mesmo ^-^